GARANTIMOS MAIS QUE LOGÍSTICA

Head Office +55 11 5908 4050

Blog MAC Logistic

Setor privado aguarda criação de grupo para debater dragagem

13-10-2017

As associações empresariais e as entidades do Porto de Santos que pedem a privatização da gestão da dragagem do complexo santista aguardam a publicação da portaria que definirá o grupo de trabalho interministerial responsável pela análise do pedido. Enquanto isso, continuam seus estudos para a definição de um modelo de contratação mais eficaz para a obra, fundamental para a competitividade do cais santista. 

A proposta enviada ao Governo Federal em agosto prevê a criação de um consórcio formado por arrendatários, operadores portuários, terminais privados e, possivelmente, a Autoridade Portuária. A ideia é que a nova empresa tenha como único objetivo garantir a dragagem do Porto. Como remuneração, ela receberia parte da tarifa destinada à manutenção das profundidades do cais santista. 

A proposta será analisada pelo Governo Federal, mas, primeiro, é necessária a criação do grupo de trabalho. Havia a expectativa de que a portaria que nomeia os integrantes dessa equipe fosse publicada até 22 setembro. Esta foi a informação da senadora Marta Suplicy (PMDB), durante a 15ª edição do Santos Export - Fórum Internacional para a Expansão do Porto de Santos, realizado em 11 e 12 setembro últimos, em Santos, pelo Grupo Tribuna.

Depois, o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, afirmou que a portaria seria publicada na semana passada, o que também não aconteceu. Procurada, a pasta informou, através de sua assessoria de imprensa, que “o escopo de atuação (do grupo de trabalho) ainda está sendo definido pelo Ministério”.

Na espera

No setor, o clima é de expectativa e ansiedade. O Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp) aguarda a definição do governo. “Esperamos que os trabalhos se realizem no mais breve espaço de tempo possível, visando o novo modelo para a dragagem do Porto de Santos, de maneira a evitar novos gargalos e prejuízos que representam a redução inesperada da profundidade e do calado do Porto, garantindo assim o tráfego marítimo em condições de competitividade, em benefício da economia do País”, destacou o diretor-presidente do Sopesp, João Almeida. 

A mesma opinião tem o presidente da Federação Nacional dos Operadores Portuários (Fenop), Sérgio Aquino. Para ele, questões políticas podem ter atrasado a publicação da portaria. Mas o executivo segue confiante de que a questão será resolvida rapidamente.

“A gente acredita que essa fase que o Governo está vivendo, de equacionamento de decisões no Congresso, pode ter atrasado um pouco. Mas nós estamos confiantes de que o Governo vai emitir, sim, a portaria do grupo de trabalho, conforme foi definido”, afirmou.

Aquino destaca o empenho da iniciativa privada em resolver o problema da dragagem no Porto. Ele diz que “as entidades continuam desenvolvendo trabalhos técnicos, estudos de viabilidade econômica. Mas o diálogo com o governo sobre a forma depende da formação do grupo”.

O presidente da Associação Comercial de Santos, Roberto Clemente Santini, defende que “o Governo Federal aja rapidamente no sentido de demonstrar claramente sua disposição em debater e resolver o assunto. O Porto de Santos não suporta mais viver esse clima de incerteza em torno da dragagem”.

Já o diretor-presidente da Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), José Di Bella Filho, acredita que a questão será resolvida rapidamente, já que o ministro Maurício Quintella voltou ao País após agenda na Europa. “O que se espera é que essa portaria saia logo. A gente acredita que, com o retorno do ministro, as coisas sejam resolvidas”, afirmou o executivo.

Fonte: A Tribuna

Foto: Carlos Nogueira/AT

Artigos Relacionados: Sepetiba Tecon se prepara para o novo momento da navegação Com alta de 20%, Paraná é o quarto maior exportador do País Maersk e IBM vão lançar plataforma baseada em blockchain para o comércio global Primeira torre de monitoramento está pronta para operar no Porto de Santos Anvisa simplifica normas sobre procedimentos para importação Antaq edita norma para navegação de apoio marítimo, portuário, cabotagem e longo curso Receita Federal informa sobre a paralisação dos sistemas aduaneiros Mercado espera Selic abaixo de 7% em 2018 e eleva previsão para o PIB Modelo padrão de contrato para serviços de agenciamento marítimo é renovado Antaq realiza audiência pública sobre projeto de norma para autorizações de instalações portuárias
Setor privado aguarda criação de grupo para debater dragagem

mac-logo-pos

   

       

Conheça o grupo MAC Logistic! Ficaremos honrados em atendê-los e principalmente, apoiar o desenvolvimento dos seus negócios, através de projetos logísticos customizados.

   

OFFICES

    Brazil - Head Office (55 11) 5908-4050

    Florida Office +1 305 436-5141

    Vitória Office (55 27) 2122-1777

   maclogistic@maclogistic.com

CÂMBIO

       

As operações da Mac Logistic são regidas pelas Condições Gerais de Negócios registradas no 2º Cartório Oficial de Registro de Títulos e Documentos de São Paulo sob o número 3612634.