Head Office +55 11 5908 4050

ÁREA RESTRITA | CANAL DE DENÚNCIAS
Head Office +55 11 5908 4050 | ÁREA RESTRITA | CANAL DE DENÚNCIAS

​Próxima parada: abastecimento em Santos

​Próxima parada: abastecimento em Santos
15/09/2016

Os navios que escalam no Porto de Santos não vêm à região apenas atrás de cargas, agora muitos deles aproveitam a atracação no complexo para abastecer seus tanques de combustível. As embarcações que utilizam um produto especial em seus motores denominado óleo bunker, realizam seu seu carregamento pela Transpetro, subsidiária da Petrobras.

O combustível fica armazenado em tanques especiais da empresa, localizados em suas instalações em Santos e em Cubatão. Essas unidades são interligadas por cinco dutos – cada um com dez quilômetros de extensão. Com essa rede, eles ainda ficam conectados à Refinaria Presidente Bernardes, também em Cubatão.

Para que um navio seja abastecido, seus consignatários fazem uma solicitação à Transpetro. O pedido tem de ser apresentado com 7 a 10 dias de antecedência. A requisição é atendida pelo Terminal Aquaviário de Santos da subsidiária da Petrobras, localizado na Alemoa. A unidade conta com uma rede de dutos que avança até o Píer da Alemoa. É nele, precisamente em seu berço 1, onde a empresa carrega sua frota – o navio Amalthia e barcaças – com o combustível encomendado. São essas embarcações que levam o bunker até o navio a ser abastecido.

A entrega do combustível é cercada de cuidados. Assim que as cargueiros que vão receber o combustível chegam ao porto, são feitas verificações, como a da temperatura dos tanques. Apenas quando nenhum problema é observado, a operação é liberada.

O combustível é embarcado por uma mangueira que liga os tanques do navio a ser abastecido aos tanques da embarcação da Transpetro. Se for uma das barcaças, são necessárias de três a seis horas para concluir a operação. Se for o Amalthia (de maior capacidade), o trabalho chega a 12 horas.

Fonte: Guia Marítimo