Head Office +55 11 5908 4050

ÁREA RESTRITA | CANAL DE DENÚNCIAS
Head Office +55 11 5908 4050 | ÁREA RESTRITA | CANAL DE DENÚNCIAS

Consumo da logística mundial em 2022

Consumo da logística mundial em 2022
22/09/2022 zweiarts

A logística é uma área de administração extremamente importante, pois é responsável pelo funcionamento de toda a cadeia de suprimentos. Dessa forma, seu consumo ao redor do mundo é inevitável, muito por conta da produção de bens e, consequentemente, para a disponibilização desses produtos.

De fato, o ano de 2022 é muito atípico. Após dois anos de pandemia mundial, a logística vem enfrentando diversos desafios, tanto de cunho econômico, quanto de cunho político. Mas afinal, como está indo o consumo dessa área durante este ano tão incomum? Entenda agora!

O rompimento na cadeia de suprimentos

Um dos principais efeitos da pandemia na logística tem sido o rompimento na cadeia de suprimentos. Isso se deve muito por conta da economia “Start/ Stop”, que se tornou muito comum durante a pandemia e ainda persiste na área.

Como consequência, estão surgindo engarrafamentos estruturais em certos pontos-chaves da logística em diversos países, como o próprio EUA. Dessa forma, um efeito inflacionário vem afetando a vida do consumidor.

Investimentos elevados em tecnologia

O efeito inflacionário também gera a falta de mão de obra nos principais portos e rodovias e, assim, os insumos na cadeia logística vêm subindo. Com a pressão dos custos e a falta de profissionais no setor, a tendência é que cada vez mais se invista em tecnologia.

Portanto, o consumidor será positivamente influenciado nesse processo, uma vez que todo esse investimento tende a gerar mais eficiência dos processos, com a automação e a rastreabilidade das cargas, e maior transparência e segurança.

Regulamentação e fiscalização no setor logístico brasileiro

No Brasil, as medidas de regulamentação e fiscalização no setor rodoviário tendem a influenciar não apenas o consumidor, mas também os próprios caminhoneiros. Ações como a entrada do DTE (Documento Eletrônico de Transporte), o aumento da fiscalização sobre o uso de carta frete, o não pagamento de vale pedágio e o recolhimento de INSS tendem a afetar positivamente o trabalho dos caminhoneiros. Em relação ao consumo, o DTE e as propostas do governo geram importantes inovações em relação à oferta de serviços.

Dessa forma, devido às consequências e efeitos que a pandemia ainda vem causando, o ano de 2022 vem sendo mais um período de grande volatilidade no setor logístico. A tendência é que, a partir do uso de tecnologias que atendam às atuais demandas dos clientes e a inovação de plataformas no setor, esses desafios sejam superados ao longo do tempo.