Head Office +55 11 5908 4050
Head Office +55 11 5908 4050 | ÁREA RESTRITA

Cinco tecnologias essenciais à cadeia de suprimentos do amanhã

Cinco tecnologias essenciais à cadeia de suprimentos do amanhã
03/09/2020 zweiarts

“A pandemia Covid-19 forçou fabricantes, fornecedores e distribuidores em todo o mundo a revisar as suas estratégias de cadeia de suprimentos global e acelerar a adoção de tecnologias digitais para criar novas ofertas de produtos, serviços e modelos de negócios disruptivos”, afirmou a GlobalData, empresa líder em análise de dados. O fechamento de fábricas, interrupções nas rotas de entrega e centros logísticos, juntamente com a evolução do comportamento dos clientes, foram fatores que impulsionaram as empresas a implementar tecnologias digitais.

E algumas são mais conhecidas e usadas do que outras, são elas:

Inteligência Artificial

Aproveitar a Inteligência Artificial (IA), as empresas podem otimizar a lacuna de fornecimento e demanda, automatizar a tomada de decisões, canalizar os requisitos de armazenamento, identificar os consumidores-alvo e fornecer maior visibilidade do tempo de entrega do pedido até a entrega. Uma das empresas que se destaca é a Blue Yonder, que lançou o Luminate™, uma plataforma de atendimento digital ponta a ponta alimentada por Inteligência Artificial para fabricantes e varejistas, permitindo que as empresas possam gerenciar totalmente sua cadeia de suprimentos com planejamento, visibilidade e improvisação otimizados.
Por exemplo, um modelo de IA otimizado para varejo reage instantaneamente a novas situações e eliminando a necessidade de correções manuais. O sistema diferencia automaticamente as nuanças entre locais como, áreas suburbanas com maior demanda e destinos de férias, onde a demanda se comporta de forma diferente e com outros produtos.

Big data

Core-Mark é um dos maiores comerciantes de alimentos, produtos frescos e soluções de suprimentos para lojas de conveniência nos EUA e Canadá. Com o software da Blue Yonder, o Core-Mark usa uma abordagem de três pontos para análise de dados. Um desenvolvimento de SmartSet, SmartStock e planogramas personalizados para determinar a melhor combinação de variedade e utilização de espaço para cada loja. É um exemplo para o uso de analítica de supply chain em todas as indústrias, ao qual está se tornando chave para melhorar a eficácia operacional, ao permitir tomar decisões baseadas em dados em todos os níveis.

Blockchain

Ele fornece um registro de transações aberto e à prova de violações, enquanto aumenta a precisão e a eficiência dos sistemas da cadeia de suprimentos. VeChain, um desenvolvedor de blockchain com sede em Xangai, lançou uma solução de segurança alimentar “ToolChain” para melhorar a transparência de ponta a ponta nas cadeias de suprimentos de alimentos. Esta plataforma Blockchain-as-a-Service (BaaS) melhora a rastreabilidade dos alimentos da cadeia de abastecimento, em meio a preocupações crescentes sobre a segurança alimentar, após o surto de COVID-19.

Digital Twins

É um conceito pouco conhecido na América Latina e que esclarece GlobalData: esta ferramenta permite a representação digital da cadeia de suprimentos real de uma empresa, que pode ser usada para otimizar e gerenciar cadeias de suprimentos, além das estratégias comerciais. A DHL, empresa de logística global com sede na Alemanha, criou um armazém gêmeo digital, que recebe dados em tempo real do armazém físico e rastreia continuamente o desempenho para identificar as soluções de armazenamento ideais.

Robótica

Os robôs nas cadeias de suprimentos desempenham um papel vital em uma ampla gama de aplicações, além da transferência básica de objetos. Por exemplo, um projetista e fabricante de robôs em Cingapura introduziu um sistema de classificação de robôs para permite que empresas de varejo, bens de consumo e comércio eletrônico gerenciem redes de distribuição.
As repercussões do COVID-19 destacaram ainda mais a necessidade das cadeias de suprimentos mais resilientes em uma economia globalizada. As empresas estão incorporando soluções adaptáveis e escaláveis em suas cadeias de suprimento para maximizar o valor do cliente, enquanto aumentam a vantagem competitiva para permanecerem relevantes nestes tempos de incerteza.

Fonte: Revista mundo Logístico