Head Office +55 11 5908 4050
Head Office +55 11 5908 4050 | ÁREA RESTRITA

Como a Inteligência Artificial pode ajudar – e muito – a atuação do COMEX

Como a Inteligência Artificial pode ajudar – e muito – a atuação do COMEX
14/02/2022 zweiarts

Cada vez mais presente no dia-a-dia do Comércio Exterior, a Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning (ML ou Aprendizagem da Máquina, em português) chegam para auxiliar as mais variadas funções do setor.

O aumento no uso deste tipo de tecnologia pode ser atribuído a inúmeros fatores. De mecanismos que facilitam a programação ao open-source (código aberto), com acesso gratuito a guias e IA’s já prontas, a simplificação na integração sistêmica vem permitindo a expansão do uso deste recurso no Comex em ritmo acelerado nos últimos anos.

Os sistemas de Machine Learning são considerados um subcampo da Inteligência Artificial. Nele, a máquina pode aprender sozinha, detectando padrões e criando conexões entre grandes volumes de dados. Muito utilizada em sistemas de segurança e amplamente difundida com os algoritmos de redes sociais, tal tecnologia está presente em atividades que exigem respostas e previsões mais precisas, sem a necessidade de reprogramação frequente.

Agora imagine tudo isso aplicado no meio logístico. São inúmeras as possibilidades de uso em portos, aeroportos e sistemas de controle de estoque. A boa notícia é que esta revolução caminha a passos largos em diversas frentes.

Operações de gigantes do e-commerce, como Amazon e Mercado Livre, são ótimos exemplos do uso da IA e da ML na logística. Com robôs capazes de aprender continuamente, o processo de picking (separação de pedidos), roteirização e transporte ficam cada vez mais eficientes, tornando possível a entrega no mesmo dia do pedido em diversas regiões.

ONDE JÁ PODEMOS ENCONTRAR OS BENEFÍCIOS DA IA NO COMEX?

Toda cadeia logística vem sendo influenciada com a implementação gradual da Inteligência Artificial no Comex. Cases como o do porto de Hamburgo, na Alemanha, e do aeroporto de Viracopos, em Campinas, mostram o potencial de otimização no recebimento e saída das cargas, que se estende até o fluxo de caminhões, no caso dos portos.

E faz todo sentido. Um universo focado na melhoria contínua de processos e na redução de tempo ao longo das etapas, logo percebe os benefícios da implementação destes tipos de tecnologias. O desafio, claro, também permeia o campo do desenvolvimento humano. É preciso fortalecer habilidades que se somam a estes sistemas inteligentes, de forma a encontrar a sinergia ideal entre o ser humano e a máquina. Bom tema para um próximo artigo por aqui, não acha? 😉